terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

INSTITUTO ANÍSIO TEIXEIRA APRESENTA PLANO PARA FORMAR PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO

O Plano de Formação e Desenvolvimento dos Profissionais da Educação Básica do Instituto Anísio Teixeira (IAT), órgão da Secretaria Estadual da Educação da Bahia, foi apresentado a representantes da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) na tarde desta quarta-feira, 15, em Brasília. O Instituto pretende formar mais de 10 mil profissionais de Educação Básica até 2018.
Com a implementação do projeto, o objetivo é capacitar até 2018, 1,3 mil gestores escolares, 1,3 mil coordenadores pedagógicos e 8 mil professores da Educação Básica. O plano pretende, assim, articular a tecnologia e infraestrutura do estado para atender o previsto no Decreto Nº 8.752/2016, que dispõe sobre a Política Nacional de Formação dos Profissionais da Educação Básica, relacionada às metas 15 e 16 do Plano Nacional de Educação (PNE).
Para o diretor-geral do Instituto, Severiano Alves, o objetivo é que o projeto sirva de exemplo para todo o país. “Não há nos estados uma articulação quando se trata de regime de colaboração. A ideia do programa é que os municípios tenham [de fato] ênfase na Educação Infantil e o estado se ocupe da formação dos profissionais do Ensino Médio. Queremos oferecer 10 cursos, incluindo Cultura Africana e Indígena. Se os outros estados fizerem o mesmo que a Bahia, o plano de formação pode disparar em todo o país”, afirma. Com intermediação tecnológica, como sistema de videoconferência, o Instituto tem capacidade de atender até 21 mil alunos em todos os municípios da Bahia.
16022017 visita IAT IMG 3112
Com a implementação do projeto, o objetivo é capacitar até 2018, mais de 10 mil profissionais da Educação Básica (Foto: Edson Morais - CCS/CAPES)

Estiveram presentes na reunião representantes da CAPES das diretorias de Formação de Professores da Educação Básica (DEB) e de Educação a Distância (DED).
CAPES
Por conta da Lei nº 11.502/2007, além de manter a coordenação do Sistema Nacional de Pós-Graduação (SNPG), a CAPES também passou a induzir e fomentar a formação inicial e continuada de professores para a Educação Básica. As ações estão distribuídas entre as diretorias DEB e DED. Entre os principais programas desenvolvidos estão o Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor), o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid), o Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB) e os Mestrados em Rede Nacional, o Programa de Mestrado Profissional para Qualificação de Professores da Rede Pública da Educação Básica (Proeb).

IAT
O Instituto Anísio Teixeira tem por finalidade planejar e coordenar estudos e projetos referentes a ensino, pesquisa, experimentações educacionais e qualificação de recursos humanos na área de educação.

Em cumprimento a sua finalidade e em conjunto com a Política Nacional de Professores da Educação Básica, o IAT acompanha a oferta de cursos de licenciatura (formação inicial) e de cursos de pós-graduação (mestrado e especialização), bem como, promove a formação continuada em nível de aperfeiçoamento (acima de 120 horas), extensão (60 a 80 horas) e cursos e eventos de curta duração (até 40 horas), como a realização de oficinas, seminários, congressos, colóquios, conferências e videoconferências para professores e demais profissionais da rede pública de ensino.
Tendo em vista a articulação da formação do professor com a prática na sala de aula, o IAT desenvolve também um conjunto de ações que viabilizam e disseminam pesquisas, experimentos e inovações pedagógicas na escola, com foco na aprendizagem do aluno. Além disso, o Instituto promove a produção e disseminação do uso de mídias e tecnologias como recursos didáticos para professores e alunos nas unidades escolares da rede pública de ensino, por meio de infraestrutura tecnológica que serve de suporte às ações de educação presencial e a distância. Conheça o IAT.
(Pedro Matos)

sábado, 6 de agosto de 2016

MUDANÇA DE ENDEREÇO

INFORMAMOS QUE, A PARTIR DESTA DATA, O POLO UAB FEIRA DE SANTANA ENCONTRA-SE EM NOVO ENDEREÇO:
- AVENIDA PRESIDENTE DUTRA, S/N, CENTRO.
  PONTOS DE REFERÊNCIA: EM FRENTE A TV SUBAÉ / AO LADO DO NRE 19 / NO PRÉDIO DO ANTIGO NTE


terça-feira, 5 de maio de 2015

CERTIFICADO Curso de Aperfeiçoamento Gestão de Políticas Públicas em Gênero e Raça - UFBA

Prezado(a),
Segue abaixo lista dos certificados que recebemos do curso Gestão de Políticas Públicas em Gênero e Raça - UFBA:

1 - ALVAIZA CONCEICAO CERQUEIRA DA CRUZ (Já foi recebido pela cursista)
2 - ANA CLAUDIA SILVA SOUZA
3 - ANA OTILIA TELES RAMOS
4 - MARIA DE FÁTIMA CARVALHO DOS SANTOS MACÊDO
5 - SOANE MARTINS MARQUES DA SILVA FEITOZA
6 - TAMARA DANIELE DUARTE DIAS DA SILVA

segunda-feira, 19 de julho de 2010

20 Mitos sobre os computadores

Matéria interessante sobre a forma de se utilizar o computador e algumas práticas que se perpetuaram durante alguns anos.

Hoje com a evolução das tecnologias empregadas na construção do PC, veja o que ainda é verdade ou o que já virou mito em relação às práticas de uso dos computadores.

Clique no link abaixo para acessar a matéria completa no site do TERRA.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Educação a distância multiplica vagas

Educação a distância multiplica vagas
16/12/2008 12:07
A Universidade Aberta do Brasil (UAB) deve contar com 600 mil alunos em 2012, um número seis vezes maior que o previsto para o início de 2009. Esta é a expectativa do ministro da Educação, Fernando Haddad. Ele participou nesta terça-feira, 16, em Brasília, da abertura do encontro de coordenadores das instituições integrantes do Sistema UAB.
“Hoje, a UAB tem mais de 500 pólos em todo o país e serão 100 mil alunos matriculados no início de 2009”, comemorou o ministro. Na visão dele, a educação a distancia, em construção no Brasil, é uma nova fronteira na educação superior e precisa de paradigmas sólidos para não comprometer a ampliação do acesso ao ensino superior. “Se zelarmos pela educação a distância, será possível criar um paradigma de qualidade nessa modalidade, respeitada em todo o mundo”, afirmou.
Para o ministro, assim como a educação superior pública presencial é modelo para todo o sistema universitário, o Estado precisa se responsabilizar pela criação de um referencial em relação à modalidade a distância. “É dever do estado oferecer acesso e também criar marcos referenciais de qualidade”, disse.
Criada em 2006, a UAB amplia a oferta de cursos superiores em instituições públicas, por meio da educação a distância. A prioridade é formar novos professores para atuar na educação básica e oferecer formação continuada àqueles já em exercício. “É difícil pensar a formação continuada para 2 milhões de professores sem o modelo da tecnologia da educação num país com as dimensões do Brasil”, afirmou o ministro, referindo-se aos professores da educação básica que precisam receber formação.
Nos 562 pólos espalhados pelo interior do Brasil, há laboratórios de informática, biblioteca e acompanhamento de tutores para as atividades presenciais. “O pólo é a casa do professor (em formação), onde ele tem uma interlocução com os tutores e professores”, enfatizou Haddad. “Esses alunos estavam distantes da possibilidade de formação e vêem a UAB como nova perspectiva profissional”, completou.
Para Haddad, a modalidade a distância ajuda a ampliar e democratizar o acesso à educação superior em conjunto com outras ações e programas do Ministério da Educação em curso, como o Programa Universidade Para Todos (Prouni) e o Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (ReUni).
“Vamos cumprir a meta de alcançar a taxa de 30% de matrícula bruta na educação superior entre 18 e 24 anos”, disse, em referência à meta estabelecida no Plano Nacional de Educação (PNE), que entrou em vigor em 2000, com duração de dez anos. “Num próximo PNE, poderemos fixar a meta de atender 50% da juventude”, previu.
Maria Clara Machado
Ouça a entrevista do ministro da educação sobre o encontro.
Republicada com alteração de informações